Pesquisadores da Estação Experimental da Epagri em Urussanga dão as recomendações para que os fruticultores do Sul de Santa Catarina minimizem prejuízos causados pela intensa onda de frio esperada para o Estado a partir de quarta-feira, 28. O pesquisador Márcio Sônego avalia que, caso o vento seja mais constante, pode livrar a região das geadas na quarta e quinta. “Mas o vento frio pode causar alguns danos também”, destacou. O Sul de Santa Catarina é o principal produtor de maracujá e pitaia do Estado. A região também vem se destacando como um importante polo produtor de banana orgânica.

O programa Comando Marconi conversou com o pesquisador da Epagri de Urussanga, Márcio Sônego, sobre o assunto. Saiba mais na entrevista completa:

 

Maracujá

O vazio sanitário do maracujá segue até o dia 31 de julho em Santa Catarina, portanto não há pomares comerciais plantados neste momento. Desta forma, a principal recomendação é para proteger as mudas pequenas sob coberturas de plástico opaco ou escuro, palhada, papel ou lona.

Também é recomendável aquecer a estufa que abriga as mudas, para manter a temperatura acima dos 5°C à noite. Os pesquisadores lembram que, na estufa, o ar frio fica na parte baixa, e por isso seria bom fazer o ar circular para misturar com o mais quente da parte de cima. Geada raramente ocorre debaixo de coberturas.

Banana

Os bananicultores devem ensacar os cachos para evitar maior dano pelo vento frio da quarta e quinta (chilling). Para quem pode, a recomendação é aplicar adubação com Potássio na segunda e terça, dias que antecedem o frio.

Em áreas de terreno de baixada, uma boa alternativa para evitar danos é a queima de Serragem Salitrada nas noites de quarta, quinta e sexta. Neste caso, os produtores devem ficar atentos para as casas ao redor dos plantios, que podem ser atingidas pela fumaça produzida.

Pitaia

Qualquer cobertura opaca, como a lona plástica, pode ser usada para cobrir as plantas de pitaia no campo. Os pesquisadores explicam que a cobertura opaca evita a formação de geada sobre as plantas.

Criações

A recomendação para quem trabalha com animais é abrigar os filhotes durante a noite.

Colaboração: Gisele Dias / Assessoria de Comunicação