A Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) irá lançar o Manual de produção da uva Goethe nesta quarta-feira, dia 28. Na obra, oito pesquisadores da Empresa trazem diversas indicações tecnológicas para auxiliar técnicos e produtores, desde o planejamento e implantação do pomar a elaboração dos famosos vinhos. O lançamento da publicação será às 16h na Estação Experimental de Urussanga, acompanhada por uma degustação de vinhos e espumantes Goethe.

“Esse manual representa um grande auxílio na tomada de decisão de viticultores e técnicos na expansão e na renovação dos vinhedos desta uva tão especial para os catarinenses”, ressalta o organizador da obra, Emílio Della Bruna. O vinho da uva Goethe ganhou identidade própria nos vales dos rios Urussanga e Tubarão, no Sul do Estado, e em 2011 se transformou na primeira Indicação Geográfica de Santa Catarina (IG).

O apresentador Rafael Niero conversou com o pesquisador Emílio sobre o assunto e o lançamento do livro. Ouça a entrevista completa realizada no Comando Marconi:

 

Os fatores climáticos e geográficos do território, somados às características culturais dos povoadores vindos do norte da Itália, onde os vinhos brancos aromáticos são tradicionais, formaram a tipicidade do vinho Goethe da região. O registro da IG abrange Urussanga, Pedras Grandes, Morro da Fumaça, Cocal do Sul, Nova Veneza, Içara, Treze de Maio e Orleans.

Segundo Della Bruna, nos Vales de Uva Goethe, onde se tem indicação geográfica, é necessário ter um padrão único de produção de uva e de vinho para garantir a qualidade aos consumidores. O manual é composto de 12 capítulos e contempla desde a história da criação do cultivar Goethe, o clima para produção, o solo, adubação, plantio, condução, as pragas e doenças, e ao final um capítulo dedicado a técnicas de vinificação. “É uma publicação que realmente vai dar a todos os produtores de uva um protocolo para seguir para ter uma uva de qualidade”, reforça o pesquisador.

O vinho Goethe, com seu frescor e aroma diferenciado, traz as marcas da imigração italiana no sul de Santa Catarina, onde essa variedade se adaptou, mostrou-se produtiva e conquistou o paladar da população local e do restante do país, tornando-se um dos símbolos culturais da região. Esse saber-fazer dos imigrantes italianos naquela região catarinense, somado às características de clima, solo e relevo rendeu à Santa Catarina a primeira indicação geográfica.

A certificação é concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) e atesta que um produto só tem aquelas características porque é produzido de determinada forma, ou porque tem notoriedade na produção. As outras quatro IG de SC são da Banana da Região de Corupá, do Queijo Serrano, dos Vinhos de Altitude e do Mel de Melato da Bracatinga.

O Governo do Estado de Santa Catarina, através da Epagri, participou de todo o processo de conquista da IG. Hoje a região é conhecida nacionalmente por seus vinhos e espumantes, o que vem alavancando ainda mais o turismo da região ano após ano. “A busca constante pelo aperfeiçoamento é primordial para o sucesso do setor. Com essa obra, reiteramos o apoio aos produtores da uva Goethe, atendendo mais uma de suas demandas”, afirma a presidente da Epagri, Edilene Steinwandter.

Colaboração: Gisele Dias / Assessoria de Comunicação