O desassoreamento do Rio de Urussanga foi o motivo da reunião entre o prefeito e o vice de Morro da Fumaça com o chefe da Defesa Civil de Santa Catarina. Nesta semana, Noi Coral e Eduardo Sartor Guollo foram a Florianópolis acompanhados pelo secretário do Sistema de Infraestrutura e coordenador Municipal da Defesa Civil, Natan de Souza. Na ocasião, os representantes de Morro da Fumaça se encontraram com o chefe da Defesa Civil, David Christian Busarello.

“Precisamos buscar uma solução para o Rio Urussanga, pois a sua situação atual traz muitos transtornos. Agora, iremos encaminhar todas as informações necessárias explicando a situação atual para que o chefe da Defesa Civil busque, junto ao Governo do Estado, formas de viabilizar o desassoreamento”, falou Coral.

O Repórter Marconi conversou com o secretário e coordenador Natan de Souza para saber como está o andamento da situação no município. Confira:

 

O projeto de desassoreamento contempla 43,5 quilômetros do rio que, além de Morro da Fumaça, passa pelos municípios de Urussanga, Cocal do Sul, Içara, Balneário Rincão, Criciúma, Pedras Grandes, Treze de Maio, Sangão e Jaguaruna. “O projeto estava em fase de licenciamento ambiental e busca de recursos, mas acabou ficando parado nos últimos anos. Esta é uma bandeira que iremos retomar e buscar viabilizar esta obra”, destacou o vice-prefeito.

O projeto de desassoreamento foi elaborado através da parceria entre os municípios e a Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc). O Rio Urussanga e os afluentes sofrem os impactos da poluição há décadas devido aos rejeitos da mineração lançados no manancial. “As inundações são cada vez mais recorrentes porque o rio está cada vez mais assoreado”, comentou Natan.

Colaboração: Marciano Bortolin / Assessoria de Comunicação