A Polícia Civil prendeu um homem em flagrante por ter participado de um latrocínio, em Morro da Fumaça, na noite desta segunda-feira (26). Conforme o Delegado Ulisses Gabriel, responsável pela investigação, a polícia recebeu a informação que teria ocorrido o crime, por volta das 22h30min, no bairro Bortolatto. Três indivíduos, utilizando um Renault Clio branco, abordaram o homem no momento que estava descolando para seu trabalho com VW Jetta branco.

Com medo, a vítima teria entrado no veículo quando foi alvejada por um disparo de arma de fogo que atingiu seu peito. O homem ainda conseguiu dirigir por alguns metros e bateu em uma casa na sequência. Os criminosos fugiram do local logo depois com o Clio. Policiais Civis de Morro da Fumaça, Urussanga, DIC e Central Regional de Plantão Policial deram início a investigações.

O suspeito foi preso pela equipe da Polícia Civil, com os trabalhos coordenados pelo Delegado Márcio Neves, em uma residência no bairro Jardim União, em Criciúma. As investigações continuam para tentar identificar os outros dois participantes.

Ouça a entrevista do Delegado Ulisses Gabriel:

 

A investigação

Segundo agente da DRR/DIC de Criciúma e responsável pelo plantão de local de crime, três indivíduos estariam praticando roubos com um veículo Clio branco. Uma vítima de um roubo havia reconhecido os suspeitos e indicou que eles o teriam assaltado usando o mesmo veículo (Clio branco).  Passado algum tempo, a polícia tomou conhecimento que a esposa de um dos suspeitos, acionou a Polícia Militar, dizendo que teria sido vítima de um sequestro relâmpago, ficando das 19h às 23h no porta malas do carro, quando foi liberada.

Através de trocas de informações da Polícia Civil e Polícia Militar, foi possível constatar diversas contradições nas declarações da mulher, tendo ela sequer ligado para o companheiro depois do crime, tendo dito que saiu de casa para ir comprar um X-salada na lanchonete de sua prima. Então foi realizado o trajeto dela, sendo que no local onde teria ocorrido o sequestro relâmpago havia uma câmera da sistema Bem-te-Vi, que foi constatado que ela não esteve no local.

Conforme o Delegado Ulisses Gabriel, através dessas informações foi possível localizar o suspeito de cometer o latrocínio e realizar sua prisão. Foi constatado ainda que todos os objetos, inclusive bolsa, documentos, cartões e dinheiro da suposta sequestrada estavam na casa, fato que comprova ainda mais que a história contada por ela era falsa e que estava tentando encobrir o crime de latrocínio cometido pelo seu companheiro.

O casal recebeu voz de prisão e foi conduzido para Central Regional de Plantão Policial. O homem ainda indicou onde estava o veículo Renault Clio, utilizado no crime, afirmando também onde dispensou seu telefone celular. O suspeito foi autuado pela participação no latrocínio consumado.