A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC) informa que foi registrado o segundo óbito por febre amarela no estado nesse ano. O diagnóstico foi confirmado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/SC). O homem de 59 anos era morador de São Bonifácio, região da Grande Florianópolis. Ele chegou a ser internado, mas não resistiu à doença.

O primeiro óbito por febre amarela em SC foi confirmado na semana passada. O homem, de 34 anos, era morador de Águas Mornas, na Grande Florianópolis.

Além desses dois óbitos, SC já confirmou outros três casos humanos de febre amarela em 2021. O primeiro caso, registrado em janeiro, foi de uma moradora de Taió, região do Alto Vale do Itajaí, de 40 anos. Os outros dois foram confirmados na região da Grande Florianópolis: um homem, de 62 anos, morador de Águas Mornas; e, um homem de 46 anos, morador do município de Anitápolis.

Nenhum dos casos tinha registro de vacina no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI).

Com relação às epizootias, o estado já recebeu a notificação de 437 primatas não humanos mortos ou doentes, sendo que em 119 ocorreu a confirmação para a febre amarela. Outras 25 epizootias (morte ou adoecimento de macacos) continuam em investigação para determinar a causa do óbito. As informações detalhadas podem ser visualizadas aqui.

Colaboração: Bruna Matos /  Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE/SC)