O prazo para a declaração do Imposto de Renda referente ao calendário de 2020 pode ser estendido até o dia 31 de julho. A decisão foi aprovada na quarta-feira (31.03), na Câmara dos Deputados. O motivo do prolongamento do prazo é a pandemia do novo Coronavírus, que gerou efeitos negativos no bolso dos cidadãos.

Para o economista Alexandre Lucas, a decisão foi correta porque prolonga o prazo para pagamento dos encargos. “Acaba sendo uma forma de postergar uma despesa no momento em que as empresas e, muitas vezes, os trabalhadores estão passando dificuldades.

O prazo atual, divulgado pela Receita Federal, vai até 30 de abril. A proposta de prorrogação segue agora para análise do Senado.

De acordo com o texto aprovado, um substitutivo do relator, deputado Marcos Aurélio Sampaio (MDB-PI), o cronograma de restituições não mudará, com o primeiro lote sendo pago em 31 de maio. O texto autoriza ainda o pagamento da cota única ou das cotas vencidas até 31 de julho sem acréscimo de juros ou penalidade de qualquer natureza.

No ano passado, também houve a prorrogação do prazo para a entrega da declaração. A mudança, contudo, foi feita por meio de instrução normativa da Receita Federal, que passou o prazo final para 30 de junho. O cronograma de restituição permaneceu o mesmo, fazendo com que o primeiro lote fosse liberado em 29 de maio, antes do prazo final de entrega.

Colaboração: Agência Brasil / Rede de Notícias Regional