Para se garantir na decisão, o Criciúma precisa vencer por no mínimo dois gols de diferença. Se vencer por um, a decisão vai para os pênaltis. A Chapecoense precisa apenas de um empate para avançar à final do Campeonato Catarinense​​​​​​​. O gol fora de casa não é critério de desempate. No jogo de ida, em Chapecó, a Chapecoense venceu por 1 a 0.

Final inédita

Qualquer sejam os vencedores dos confrontos entre Criciúma e Chapecoense, e Brusque e Juventus, a final do Campeonato Catarinense​​​​​​​ deste ano será inédita.

Criciúma:

Após cumprir suspensão no jogo de ida, o lateral Victor Guilherme deve voltar ao time titular do Criciúma. O destaque do time, Carlos César, que não atuou em Chapecó, é dúvida. Se for vetado, Jajá será o titular.

O time de Roberto Cavalo deve ir a campo com: Agenor; Victor Guilherme, Vitão, Maurício Barbosa e Kaike; Eduardo, Foguinho e Jajá (Carlos César); Léo Ceará, Jean Dias e Thiago Henrique.

Chapecoense:

Na Chapecoense, os atacantes Anselmo Ramon e Roberto, e o meia Régis estão disponíveis para a partida. Alan Ruschel​​​​​​​, porém, está fora por suspensão.

A Chapecoense deve ser escalada com: João Ricardo; Ezequiel, Joilson, Luiz Otávio e Roberto; Guedes, Anderson Leite (Ronei), Matheus Ribeiro e Denner; Paulinho Moccelin e Aylon (Anselmo Ramon).

Técnico invicto

O técnico Umberto Louzer ainda não perdeu no comando da Chapecoense. Até agora, foram oito partidas no comando da Chape, com cinco vitórias e três empates.

Fase anterior

Nas quartas de final, o Criciúma eliminou o Marcílio Dias após empatar em 0 a 0, em casa, e vencer em Itajaí por 1 a 0

Já a Chapecoense eliminou o Avaí, que havia terminado a primeira fase na liderança: vitória por 2 a 0 na Arena Condá e empate em 1 a 1 na Ressacada.

Campanhas no Catarinense

O Criciúma decide em casa por ter feito campanha melhor na primeira fase – terminou na quinta colocação, com 13 pontos. Já a Chapecoense foi o último time classificado na fase inicial: oitava colocação, com dez pontos.

Tabu em jogo

O Criciúma não vence a Chapecoense desde 23 abril de 2017 (1 a 0, no Heriberto Hülse). De lá para cá, foram oito confrontos, com seis vitórias da Chape e dois empates.