O secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, se reuniu com representantes do Governo do Estado na manhã desta sexta-feira, 3, para debater o processo de apoio aos atingidos pelo ciclone extratropical, que atingiu Santa Catarina nesta semana. Lucas Alves elogiou a estrutura de Defesa Civil do Estado e garantiu que o Governo Federal dará todo o apoio necessário para auxiliar na reconstrução das estruturas danificadas. O encontro ocorreu no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres de Santa Catarina (Cigerd).

O governador Carlos Moisés destacou que o auxílio do Governo Federal será essencial para que Santa Catarina supere mais este desafio. Segundo o chefe do Executivo estadual, a presença de representantes da União demonstra o empenho em ajudar o Estado na reconstrução dos estragos.

“Neste primeiro momento nosso foco é assistência humanitária a todas as famílias atingidas. O tempo não tem dado trégua a Santa Catarina. Enfrentamos estiagem, um tornado no Extremo Oeste e agora o ciclone. Mas temos um povo resiliente e vamos superar mais este desafio. Com o apoio da União, o Governo do Estado não vai medir esforço para fazer a sua parte nessa tarefa”, destaca o governador.

O secretário Alexandre Lucas foi recepcionado pelo chefe da Defesa Civil estadual, coronel João Batista Cordeiro Júnior, que lhe fez uma apresentação sobre os danos relatados até o momento. Segundo Lucas, o Governo do Estado tem sido eficiente no processo de assistência humanitária e conta com uma estrutura de Defesa Civil que é referência para todo o país.

“Essa reunião foi muito importante e profícua. O Estado de calamidade pública ajudará na celeridade do processo de transferência de recursos. Vamos reconhecer de forma sumária todos os decretos e também buscaremos identificar outras oportunidades de repasse por meio de outros órgãos do Governo Federal”, destacou Lucas.

O secretário nacional ainda salientou que há dois tipos de repasse: os de restabelecimento e os de reconstrução. O primeiro consiste em uma ajuda para um caso mais pontual, em que a estrutura pode ser consertada sem a necessidade de um projeto. Nessa situação, o dinheiro chega de maneira mais rápida. No segundo caso, de reconstrução, a ajuda demora um pouco mais a vir, por conta da necessidade de se realizarem projetos.

Em função dos estragos, o governador decretou nesta quinta-feira, 2, estado de calamidade pública em Santa Catarina. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta.

Sobrevôo nas áreas afetadas

Durante o período da tarde, o chefe João Batista e o secretário Lucas farão um sobrevoo por algumas áreas atingidas pelo ciclone. Até o momento, nove mortes foram confirmadas, com duas pessoas ainda desaparecidas. O ciclone causou estragos em ao menos 152 municípios, de todas as regiões do estado. Mais de 1,5 milhão de unidades consumidoras chegaram a ficar sem energia. Um levantamento parcial realizado pela Secretaria de Estado da Educação aponta danos em ao menos 356 escolas da rede estadual de ensino.

Com informações da SECOM.