Um morador de Urussanga está num dilema. No último dia 20, ele participou de uma campanha, promovida pela secretaria municipal de saúde, que realizou testes rápidos para Covid-19 em caminhoneiros da cidade. Ele fez o teste. Minutos depois, o resultado deu positivo. Com isso, ele foi orientado a ficar isolado por 14 dias, conforme o médico do Centro de Triagem de Urussanga, Dr. Kaleb.

“Seguindo os protocolos, a gente fez recomendação de isolamento por 14 dias, como fizemos para todos os pacientes. Ele não é uma exceção. Pelo contrário, ele é a regra. Como o resultado deu positivo, o nosso receio é que ele tivesse em transmissão ativa”, informa o médico.

Sem trabalhar e sem sintomas, o cidadão foi além. Fez dois exames em laboratórios particulares de Urussanga. E para a surpresa dele, e da família, os resultados deram negativos. A partir daí, ele foi buscar os seus direitos, e ser liberado do isolamento. Sem sucesso. Com isso, o município acionou a justiça para que o morador cumprisse a orientação de se isolar.

Nesta segunda-feira (29), a 2ª Vara da comarca de Urussanga deferiu liminar para que este homem, que testou positivo para covid-19, permaneça em isolamento domiciliar por 14 dias, mesmo que um segundo teste realizado por ele em laboratório particular tenha dado resultado negativo. Segundo a ação civil pública com tutela de urgência, ajuizada pelo Ministério Público, se utilizando do resultado negativo do exame realizado em laboratório particular ele teria ido em lojas e a um mercado.

Para entender melhor essa história, o programa Comando Marconi desta terça-feira (30) ouviu Dr. Kaleb, que é o médico do Centro de Triagem.

“Várias pessoas, não sei se por não acreditar no sistema público, por descrédito, ou talvez por desconhecimento das técnicas de exame, têm buscado fazer contraprovas no serviço particular, tentando desacreditar esse teste positivo. Os testes positivos ele têm falso negativo em torno de 5 a 10%. E os negativos têm uma taxa de falso negativo em torno de 30 a 40%. O que a gente toma como recomendação? Os positivos são considerados positivos. E os negativos têm muito mais chances de falso negativo do que os positivos”, explica.

Ouça a entrevista completa: