Polícia Civil finaliza 1ª fase da Operação Bilhete Premiado

O golpe já causou prejuízos de quase R$ 200 mil em Tubarão

70
Foto: Divulgação

A Polícia Civil, através da Central de Plantão Policial de Tubarão, investiga desde 2018 uma associação criminosa especialista em praticar o crime de estelionato na modalidade “conto do bilhete”. Criminosos abordam as vítimas, normalmente idosas, e as ludibriam narrando que estão de posse de um bilhete premiado, mas não desejam sacar o valor do prêmio, trocando o objeto por dinheiro. O golpe já causou prejuízos de quase R$ 200 mil em Tubarão. Dois suspeitos foram identificados por três vítimas como autores do crime.

A Polícia Civil representou pela prisão preventiva e pelo sequestro de valores, tendo o Judiciário deferido os pedidos, com parecer favorável do Ministério Público. Atualmente, ambos estão foragidos e os valores nas contas bloqueados para ressarcimento. A equipe de investigação continuou as diligências e identificou outro integrante da quadrilha responsável por criar contas com documentos falsos para receber o dinheiro do crime. O líder do grupo também foi identificado, tendo grande expertise em documentos falsos, inclusive possuindo três CPF’s distintos vinculados ao seu nome e outra qualificação falsa, a qual utilizou para criar uma empresa fantasma que auxiliava na prática delitiva.

A PC também pediu a prisão preventiva de outros dois membros do grupo criminoso, além da expedição de mandados de busca e apreensão em Itajaí, Balneário Camboriú e Camboriú, tendo o juízo deferido o pedido. No dia 28 de agosto, com apoio da DIC de Balneário Camboriú, foi dado cumprimento as ordens judiciais, tendo sido cumprido os mandados de prisões preventiva contra dois envolvidos, em Itajaí e Curitiba. Policiais apreenderam um aparelho celular e documentos numa casa de câmbio em Itajaí. Também foi identificada a filha de um casal preso que participava da associação criminosa. A família usava documentos falsos para comprar veículos numa concessionária em Itajaí. A filha teve a prisão preventiva decretada e continua foragida. As investigações continuam.

Colaboração: Polícia Civil