Especial – a dica é pesquisar ao comprar o material escolar

148
Foto: Edi Carlos De Rezende

O preço do material escolar subiu numa faixa de 10%, segundo a Fundação Getúlio Vargas, se comparado com 2018. Se considerarmos itens da linha papel, como cadernos, agenda, folhas sulfite. O caderno espiral de 10 matérias (um dos produtos mais utilizados pelos estudantes do sexto ao nono ano) esse aumento é de 22%, o valor que em 2018 era praticado a R$ 11 reais, em 2019 custa em torno de R$ 15 reais. Já outros materiais como lápis, caneta e borracha continuaram sem elevações. O lápis de escrever tradicional básico, que no ano passado custava R$ 0,50 centavos, permanece com o mesmo preço.

Se o pai estiver com tempo para comparar os preços poderá verificar que a caixa de lápis de cor com 12 cores, de uma marca famosa, custa R$ 21 reais, porém a linha similar sai bem mais em conta, está entre R$ 7 e R$ 8 reais. E para quem precisa fazer a compra para vários filhos, o ideal é procurar pela caixa que custa R$ 5,20. Do preço mais elevado ao mais barato, temos uma diferença de 75%.

Cadernos de marcas famosas, os chamados licenciados, têm preços entre R$ 38,90 até R$ 50,00.  A mochila não teve aumento considerável, uma boa mochila com três aberturas varia de R$ 99,90 a R$ 110,00; já outras de marcas famosas podem ser compradas por R$ 180,00 a R$ 200,00 e R$ 500,00.

De acordo com o Educador Financeiro, Leandro Benincá, os pais devem pesquisar para encontrar materiais com preços acessíveis e com boa qualidade. Uma das dicas é aproveitar o início de janeiro para a aquisição de todos ou uma parte dos itens que serão utilizados ao longo do ano, pois quando se aproxima o começo das aulas o preço sempre aumenta. “A internet é uma boa aliada na hora da compra do material. Tem opções de sites para adquirir livros didáticos e até outros produtos pedidos na lista de material escolar. Ainda é importante fazer contatos com outros pais para realizar a compra em grupo, assim poderão ganhar um bom desconto”, alerta o profissional.

Confira a reportagem especial do repórter Edi Carlos De Rezende:

 

Outro detalhe em que os pais devem estar atentos é sobre o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que garante qualidade e segurança dos produtos. Os produtos falsificados ou importados tendem a ser mais baratos, porém poderão por em risco a saúde das crianças e adolescentes, ou poderão gerar custo extra já que produtos de baixa qualidade precisam ser trocados dentro de poucos meses.

Veja abaixo os sites para pesquisa de preços de livros:

estantevirtual.com.br

livronauta.com.br

meliuz.com.br

zoom.com.br

Da Redação