Ministério do Meio Ambiente terá 15 dias para rever ampliação do Parque Nacional da Serra Catarinense

Fotos: Divulgação
- Publicidade -

Em reunião realizada na tarde desta segunda-feira (5), o Fórum Parlamentar Catarinense decidiu encaminhar, ainda nesta semana, solicitação para que o Ministério do Meio Ambiente apresente, no prazo de 15 dias, novo Projeto de Lei para que seja retirado as áreas dos municípios atingidos pela última ampliação do Parque Nacional da Serra Catarinense, realizada em dezembro de 2016. Caso o pedido não seja cumprido neste período, o próprio Fórum Parlamentar Catarinense dará entrada ao assunto diretamente pela Câmara dos Deputados.

A decisão foi tomada após o não cumprimento do proposto pelo ministro Sarney Filho, que havia assumido compromisso de encaminhar esse projeto já no ano passado. Diante disso, e ao desligamento previsto para as próximas semanas de Sarney do governo Michel Temer, os parlamentares estipularam o prazo para que o ministério faça o devido encaminhamento.

Lideranças dos municípios de Lauro Müller, Bom Jardim da Serra, Urubici e Grão Pará compareceram a reunião. Entre os parlamentares presentes, estava o coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, o deputado federal João Paulo Kleinubing, o senador da república, Dalírio Beber, além de outros parlamentares federais que integram o Fórum como Carmen ZanottoEdinho BezEsperidião AminRonaldo Benedet e Valdir Colatto, além do deputado estadual João Amin, presidente da Comissão de Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano.

Carmen fez sua explanação e apresentou os mapas do IcmBio com diferentes traçados do Parque Nacional da Serra Catarinense e voltou a lamentar o equívoco na aprovação do projeto que altera os limites do parque. “Lamentavelmente o texto que foi aprovado na Câmara, não corresponde com o traçado do parque que é de conhecimento da população afetada. Fomos enganados quando apoiamos a tramitação desse projeto. Nossa defesa é para que essas injustiças com estes municípios sejam revistas”, afirmou a deputada.

Do município de Lauro Müller, entre as lideranças que fizeram uso da palavra, esteve o prefeito Valdir Fontanella e o presidente do Ecomuseu, Serra do Rio do Rastro, Cláudio Lottin, que fizerem uso da palavra em defesa do município.

“Nosso município já faz sua parte, preservando e cuidando do meio ambiente. Temos terras produtivas dentro deste traçado, que serão comprometidas com suas atividades. Nós não aceitamos que parte do nosso território seja incluída desta forma no Parque da Serra Catarinense. Muitas famílias vivem e dependem destas terras, em especial os moradores de Rio Capivaras Alto”, defendeu Fontanella.

Todos os parlamentares foram unânimes e afirmaram que aprovaram um projeto diferente do que foi apresentado pelo IcmBio, incluindo erroneamente municípios e propriedades produtoras, entre elas parte do Ecomuseu Serra do Rio do Rastro, em Lauro Müller.

O encontro aconteceu na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, em Florianópolis, e durou cerca de 1h30min.

COMPARTILHAR