A endometriose é a implantação de tecido do útero em outros órgãos do corpo da mulher, como ovários, bexiga e intestino, causando inflamação e dor abdominal. Entretanto, muitas vezes é difícil detectar a presença desta doença, pois os sintomas acontecem mais frequentemente durante a menstruação, o que pode confundir a mulher.

Para falar sobre o tema, convidamos o ginecologista,  Dr. Richard Coan Cardoso, que alertou  para os sintomas da endometriose que muitas vezes são ignorados pelas pacientes, acostumadas a ouvir que isso passa. “O ginecologista deve estar atento a esses sintomas e considerar as alterações como algo diferente na vida da mulher. Durante muitos anos os próprios médicos atuaram dizendo que isso tudo era normal” explica Coan.

Confira a íntegra da entrevista:

 

Endometriose

Doença caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga.

Todos os meses, o endométrio fica mais espesso para que um óvulo fecundado possa se implantar nele. Quando não há gravidez, esse endométrio que aumentou descama e é expelido na menstruação. Em alguns casos, um pouco desse sangue migra no sentido oposto e cai nos ovários ou na cavidade abdominal, causando a lesão endometriótica. As causas desse comportamento ainda são desconhecidas, mas sabe-se que há um risco maior de desenvolver endometriose se a mãe ou irmã da paciente sofrem com a doença.

É importante destacar que a doença acomete mulheres a partir da primeira menstruação e pode se estender até a última. Geralmente, o diagnóstico acontece quando a paciente está na faixa dos 30 anos.

Hoje, a doença afeta cerca de seis milhões de brasileiras. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose, entre 10% a 15% das mulheres em idade reprodutiva (13 a 45 anos) podem desenvolvê-la e 30% tem chances de ficarem estéreis.

Colaboração: Dr. Sergio dos Passos Ramos CRM17.178 – SP