Você já deve ter ouvido de alguém, ou mesmo já ter dito que precisa perder alguns quilinhos. E claro, a preferência de quem está à procura do corpo perfeito é encontrar uma receita rápida. Porém, fique atento porque a pressa para emagrecer pode ser um atalho para a frustração, além de provocar riscos à saúde.

A diminuição dos números na balança deve ser alcançada de forma saudável. Por isso, o mais importante é fazer uma mudança no estilo de vida em longo prazo. Com o tempo, o corpo absorve as mudanças e também se adapta sem trazer prejuízos.

No quadro “Saúde e Bem-Estar” exibido diariamente na Rádio Marconi, o Dr. Vitor Benincá explicou que a proibição de alimentos, jejum e falta de exercícios são alguns dos erros que as pessoas cometem quando querem emagrecer. “Não adianta fazer uma dieta restritiva em um mês, pois os quilos perdidos irão voltar.”, ressalta o médico.

Ouça:

 

Dr. Vitor Benincá

Nascido em Criciúma, Vitor Benincá, soube desde cedo que trajetória profissional queria trilhar. Medicina foi a sua decisão, ingressando na faculdade aos 17 anos. Formado em 2012 pela Unesc (Universidade do Extremo Sul Catarinense), passou a exercer a profissão com toda a dedicação e esforço que ela exige.

Movido a desafios, a energia e jovialidade se fazem presentes em todas as esferas da vida do médico, que costuma dedicar-se de corpo e alma nos projetos nos quais está envolvido. E não são poucos: Vitor adora acumular funções. Entre elas, foi Secretário da Saúde do Município de Criciúma em 2016, onde se destacou por sua gestão arrojada e enérgica.

Veja a lista de atitudes erradas mais comuns:

Jejum – Quando ficamos muitas horas em jejum, nosso metabolismo fica mais lento e não queima as calorias de forma necessária;

Dietas da moda – As dietas ditas “milagrosas” até funcionam para a perda rápida de peso, mas não são nada saudáveis. No longo prazo, o corpo sentirá falta de tudo aquilo que foi restringido e irá pedir de maneira exagerada;

Fazer compras com fome – Quando vamos ao supermercado com fome, acabamos colocando no carrinho, por impulso, alimentos errados, supérfluos e nada saudáveis;

Comer rápido – O cérebro demora um tempo pra mostrar ao organismo que está saciado. Se a pessoa come rápido, ela não está se saciando e tende a consumir mais alimentos sem perceber;

Comer na frente da televisão/computador – Ao fazer isso, o cérebro irá prestar atenção no programa e não saberá o que e quanto você está comendo;

Consumir só alimentos diet e/ou light – Alimentos diet e light são um mito. Tudo depende da quantidade ingerida. Alimentos para diabéticos não têm açúcar, mas muitas vezes possuem mais calorias;

Cortar carboidratos – O carboidrato fornece conforto para o organismo. Se ele não é consumido, não haverá energia e estimulo suficiente para a realização de atividades do dia a dia.

Colaboração: Portal do Governo / São Paulo