De uma só vez, R$1,7 mil gastos com o conserto do carro. E tudo isto por conta de um buraco. Um grande buraco num trecho da SC 108 em Urussanga, próximo a comunidade Rio Maior, no sentindo Orleans – Criciúma. A rodovia, que liga as cidades, já é conhecida pelos acidentes. Agora, o perigo é ainda maior por causa da cratera.

Quem levou o prejuízo foi Maria da Glória Pillon Nunes, moradora da comunidade Alto Rio Molha, que vai diariamente até o centro de Urussanga. Num destes trajetos, no início desta semana, Maria caiu no buraco. “No final do ano passado eu havia trocado os meus pneus e precisei trocar novamente. Os dianteiros estouraram e também precisei trocar os amortecedores”, contou a motorista.

Segundo ela, já faz algum tempo que o buraco está aberto na estrada. “Todo dia preciso desviar. Além do asfalto já estar desnivelado, exigindo o desvio, ao colocar o carro um pouco para a direita, caímos no buraco. É muito perigoso”, alertou.

Enquanto a reportagem estava no local, Jean Carlos Matos precisou voltar para buscar a calota do pneu do seu carro que caiu ao passar pelo buraco. “Eu costumo desviar daquela “barriguinha” que pega embaixo do carro e não vi o buraco. Está bem terrível! Precisa ser consertado imediatamente”, reiterou Matos.

Buraco tapado em uma semana

De acordo com secretário Executivo da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR), João Fabris, as ações tapa buraco já estão ocorrendo. Nesta quarta-feira, 31, ocorreriam as obras na Rodovia Genészo Mazon, que liga Urussanga a Morro da Fumaça e o na Serra do Rio do Rastro. “O asfaltou não rodou nesta manhã (manhã de ontem). Depois que taparmos os buracos na Genézio e na Serra, o próximo trecho é a SC 108”, garantiu Fabris.

Segundo ele, até quarta da semana que vem o problema deverá ser resolvido. “Ainda nem temos contrato para este ano. Estamos usando uma sobra de 2017 para fazer estas ações mais urgentes”, explicou.

Mato alto tapa placas de sinalização

Outro problema encontrado na rodovia fica por conta do mato alto, que chega a tapar placas que sinalizam velocidade, proibição de ultrapassagens e até curvas.
Uma reunião em Florianópolis, na sexta sexta-feira, 02, deve cobrar contrato para que haja o mato seja roçado no local. “Estou indo pra Capital e vou colocar este assunto em pauta. O setor financeiro do Governo começa a funcionar em 20 de fevereiro. Ou seja, ainda não recebemos verba em 2018. Sabendo quanto vamos receber, poderei abrir uma licitação e então roçar o local”, comentou Fabris.

Confira mais fotos:

Foto: Lucas Colombo/DN
Foto: Lucas Colombo/DN
Foto: Lucas Colombo/DN
Foto: Lucas Colombo/DN

 

Informação do jornalista Matheus Reis – Portal DN Sul

Fotos: Lucas Colombo (DN)