Por: Edi Carlos De Rezende

A presença da feira itinerante “Feira do Brás” gerou desconforto, mais uma vez, aos comerciantes da cidade de Urussanga. Uma manifestação dos proprietários de várias lojas, instaladas no centro do município, levou para o Coreto da Praça Anita Garibaldi, mais de 50 pessoas, vestidas (a grande maioria) de preto, em forma de protesto.

A mobilização teve início às 15h35min, ao som de apitos e gritos de “Respeito ao Comerciante”, além de cartazes com dizeres como: “Feira do Brás não gera emprego aos Urussanguenses; Lojas estão fechando, fora feira; Descaso com os Lojistas; Poder público não está ao nosso favor; Vereadores olhem por nós”, que os integrantes da manifestação se  mantiveram por meia hora na Praça Anita Garibaldi.

Por volta das 16h uma caminhada levou todos os participantes até a frente da Prefeitura, onde permaneceram por 15 minutos, enquanto reivindicavam um encontro com o Prefeito Gustavo Cancellier.  Insatisfeitos, aos poucos alguns representantes adentraram as dependências da prefeitura, sendo seguidos por todos os integrantes do protesto. No local, a ordem e respeito prevaleceu, sem barulhos e sem apitos.

As 16h30min o chefe do executivo, Luiz Gustavo Cancellier, saiu de seu gabinete se posicionando junto ao grupo de lojistas e colaboradores das lojas de Urussanga, portando em suas mãos as folhas dos documentos de protocolo/pedido de instalação da feira, além de cópia da nova lei de regulamentação das feiras itinerantes no município.

“Formamos um grupo bastante expressivo. Reivindicamos porque pagamos impostos e temos funcionários para manter no serviço. Pedimos mais atenção ao comércio porque notamos que não houve uma explicação detalhada sobre a volta desta feira. Estamos buscando apoio da prefeitura para tentarmos mudar a presença de feiras na cidade, havendo maior fiscalização, até porque os comerciantes fixos honram com os compromissos. Esperamos que a nova regulamentação seja realmente mais eficaz”, detalha a Vice-Presidente da CDL, Márcia Menegalli De Rochi.

“Nós estávamos protestando não somente contra a Feira do Brás, mas também sobre a finalização da obra na Praça Anita Garibaldi e sobre a Lei dos Alvarás. Ficamos mais tranquilos porque em breve haverá uma reunião com representantes da CDL e outros comerciantes não associados a CDL. Observamos que o prefeito deixou todos mais seguros, e cremos que irá trabalhar melhor para apoiar os comerciantes. Esperamos que se a Feira voltar à Urussanga irá cumprir com a nova lei, assim poderá gerar novos empregos na cidade e deixar capital circulando em Urussanga”, explica a Presidente da CDL Scheila Bosa.

De acordo com o Prefeito Gustavo Cancellier, a vinda da feira nestes dias de outubro, não pôde ser barrada.  “Quando eles vieram em maio para Urussanga, fizeram o protocolo de pedido para expedição do alvará de funcionamento para o mês de outubro. Como não havia uma nova lei, eles foram liberados a se instalar na cidade. Salientamos que a nova regulamentação da feita itinerante foi votada e entrou em vigência no dia 29 de setembro. Ela está valendo desde o momento de sua publicação, mas não foi possível aplicar os novos itens da lei sobre esta feira instalada de 12 à 15 de outubro. A nova lei não pode ser aplicada retroativamente. Podemos afirmar que se houver o pedido de um novo protocolo para expedição de alvará e instalação para os próximos meses, a Feira Itinerante terá que se adequar a nova lei. Não podemos impedi-los de vir à cidade, estão praticando o livre comércio. Se os responsáveis pela feita obedecerem os pedidos que a lei estabelece, serão liberados a vir a Urussanga e se instalar no local que pagarem o seu aluguel”, afirma o Prefeito.

Na tarde de sexta-feira (13), alguns comerciantes fecharam as portas de suas lojas para protestar, levando os seus colaboradores ao Coreto da Praça.

Ouça a reportagem:

 

As explicações do Prefeito e da Presidente da CDL:

 

Veja as imagens da manifestação: