Morro da Fumaça começa a sentir mais gravemente a situação da estiagem que atinge o Estado de Santa Catarina. Com a capacidade de armazenamento reduzida a apenas 30%, o Rio Vargedo, em Treze de Maio, já não consegue abastecer a cidade com regularidade. De acordo com o gerente da Casan fumacense, Jeferson Pacheco, a situação é complicada.

“É estiagem mesmo. Além disso, alguns problemas de vazamento oculto, mas as dificuldades aumentam pela falta de chuva. O Rio Vargedo está um córrego. A Casan ampliou o horário de trabalho de 20 horas/dia para 24 horas/dia, ou seja, estamos trabalhando o dia inteiro, mas não damos conta da demanda”, explica.

Pacheco pede a colaboração da população para evitar desperdício e economizar água. “É preciso essa compreensão de todos, e qualquer vazamento deve ser avisado imediatamente para a Casan. Temos problemas mais sérios nos locais mais altos, como Loteamento Matilde Recco e Linha Serafim”, coloca.

O gerente da Casan descarta a princípio o início do racionamento. Sobre a possibilidade de Morro da Fumaça receber água da Barragem do Rio São Bento, em Siderópolis, a chance é quase zero. “Hoje não é mais viável, como era antigamente. Seria preciso ampliar a Estação de Tratamento em Criciúma, com aumento da capacidade de armazenamento. Se fosse feito como está hoje, faltaria água em algum lugar”, adianta.

O telefone da agência da Casan é o (48) 3434-1602, que atende cerca de 20 mil pessoas de Morro da Fumaça, Linha Anta, Esplanada e uma parte de Treze de Maio.

Moradores sofrem

Os moradores de Morro da Fumaça começam a passar dificuldades com a falta de água. No facebook as reclamações aumentaram nos últimos dias. A moradora Katrine Zadroski, do Loteamento Matilde Recco, diz que mora há 10 anos no local, e sempre sofre com o desabastecimento.

“No ano passado fizemos algumas reuniões na Casan e prefeitura, quando nos informaram que havia necessidade de um “buster” para levar a água até os pontos mais altos. Não sei se já foi colocado ou não, mas o problema voltou. Pedimos ajuda das autoridades para solucionar nosso problema. Praticamente todo sábado ficamos sem água, e ontem e hoje estamos sem água também. A situação é difícil, porque com filho pequeno e trabalhando o dia todo não conseguimos nem tomar banho”, relata.

Com informações do site Morro da Fumaça Notícias