Igreja católica está de luto em São Joaquim

- Publicidade -

Os católicos da Serra Catarinense amanheceram de luto na manhã desta segunda-feira (5) com a notícia do falecimento do Monsenhor Blévio Oselame.

Blévio tinha 91 anos de idade era padre á 68 anos e prestava serviços na paróquia da são Joaquim a 58 anos.

Ele estava internado no Hospital Sagrado Coração de Jesus há cerca de 15 dias com o diagnóstico de uma infecção urinária e no último domingo seu estado de saúde se agravou onde entrou em coma. No dia 11 de Fevereiro de 2018 o Monsenhor Blévio Oselame completaria 92 anos. Blévio foi um grande líder religioso na cidade de São Joaquim.

Padre Blévio Oselame, filho de José Oselame Thereza Crestani Oselame nasceu no dia 11 de fevereiro de 1926 no distrito de Cocal do Sul – Município de Urussanga – SC., de destacada família de 08 filhos. Em idade escolar frequentou o Grupo Escolar de Cocei e formou–se no complementar que na época equivalia o grau de Professor. mais tarde, em 1940 mudou-se com a família para Consolação localidade entre o Rio Rufino e Urubici, mais tarde para Rio Rufino.

Vocacionado para o sacerdócio, em 1941 ingressou no Seminário Diocesano de Caxias do Sul – RS. cursando o colegial e científico. Em 1947, ingressou na faculdade de Filosofia e Teologia em São Leopoldo – RS. no Seminário Central dos Padres Jesuítas. No dia 08 de Dezembro de 1954, foi ordenado sacerdote na Catedral de Lages por Dom Daniel Hostin, Padre aos 24 anos, mesmo antes de concluir o curso de Teologia, mais tarde, depois de padre bacharelou-se na Faculdade de Ijuí – RS, com cadeira registrada no MEC na Secretaria de Educação em Florianópolis, nas disciplinas de Filosofia, Sociologia e Historia.

Depois foi servir as Paróquias de Piratuba, Piritiba e Esteves Junior somente depois veio para São Joaquim, onde almeja ser sepultado ao lado do mausoléu onde repousam os restos mortais do saudoso padre João Batista Viecilli na Capela Senhor dos Passos. Foi nomeado Pároco de São Joaquim no dia 10 de janeiro de 1957 onde passou a se dedicar a um trabalho de reunir a todos na fé em Jesus Cristo, sendo bem aceito pela comunidade Joaquinense. Num convívio ao lado da comunidade atuava com iniciativas de incentivos ao crescimento religioso, educacional e econômico da Paróquia e Município.

Padre Blévio teve participação de apoio na construção da Escola Técnica de Comércio, antigo Colégio Cenecista lá foi também professor voluntário ao lado das demais professores que atuavam no município. Como promotor religioso e administrador econômico da Paróquia, concluiu as obras da atual Igreja Matriz, construiu a atual Casa Paroquial que na época (1º de janeiro de 1959) era tida como a construção mais moderna de São Joaquim.

Foi Inspetor Escolar por quatro anos,por nomeação do Sr. Governador Celso Ramos, abrangendo a região de São Joaquim, incluindo os Distritos de Bom Jardim e Urupema que ainda não haviam se desmembrados, diante dessa nova realidade percebeu a carência de maior espaço físico para escolas, tanto da cidade como no interior. Daí a construção relâmpago do Colégio Paroquial São José, com capacidade para mais de 360 (trezentos e sessenta) alunos (como Escola particular) onde foi professor, depois do Colégio ser estadualizado abrigou aproximadamente de 1.200 estudantes.

Construiu a residência das Irmãs diretoras e professoras do referido Colégio,cujas Irmãs Franciscanas vieram a São Joaquim a seu pedido, Pe. Blévio é um dos Sócios fundadores da Rádio Difusora “São Joaquim Ltda. Foi produtor e apresentador do programa “A Voz do Vigário” desde 1960. Em 1967 construiu o edifício chamado Conjunto do Salão Paroquial “Frei Rogério”. Mais uma grande obra foi a construção da Casa de Formação servindo para cunho religiosa e Social que hoje abriga um Colégio Particular, não citando todas suas realizações materiais e religiosas nas comunidades do interior do Município e Paróquia, que seria um vasto leque, com mais de 18 capelas e mais 4 Capitéis.

Informação do Portal São Joaquim On Line

COMPARTILHAR