Dive descarta suspeita de febre amarela em Morro da Fumaça

Foto: Decom/Divulgação
- Publicidade -

A morte suspeita de um macaco, em Morro da Fumaça, teve atribuição da febre amarela descartada pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive). O caso, junto a outros 37, foram desconsiderados por critérios laboratoriais. As causas de mais 21 óbitos ainda são desconhecidas devido à ausência de coleta de amostras para análise.

Segundo boletim do órgão, Santa Catarina não confirmou nenhum registro decorrente da doença, que se alastra em estados como Minas Gerais e São Paulo.

A investigação em epizootias consiste em captar informações sobre o adoecimento ou morte de animais, para a adoção de ações de prevenção e controle.

Três casos suspeitos de eventos adversos pós-vacinação também foram notificados, entre os dias 1° e 27 de janeiro. Um deles é de um residente do município de Laguna.

Em Criciúma a Secretaria de Saúde está oferecendo vacinas contra a febre amarela. O município recebeu duas mil doses no último dia 16 e elas estão disponíveis, sob agendamento, nas UBS do Centro e Santa Luzia, no 24 Horas da Próspera e na Policlínica do Rio Maina. A vacina é recomendada para a faixa etária dos 9 meses aos 59 anos, para quem nunca tomou e para quem pretende viajar rumo a áreas de risco, entre as quais Criciúma não se inclui.

Informação do jornalista Denis Luciano – Portal DN Sul

COMPARTILHAR