Aparecida 300 anos: Fiéis rendem homenagens à Padroeira do Brasil

Foto: Pascom Siderópolis
- Publicidade -

Trezentos anos de fé e de muitos milagres, pela intercessão da Virgem Maria. Nesta quinta-feira, 12, a Igreja Católica celebra o Dia da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Em 1717, três pescadores, após várias tentativas de pesca no rio Paraíba do Sul, encheram suas redes de peixes, depois de encontrar a imagem de Nossa Senhora. A devoção se espalhou pelo país e também pela Diocese de Criciúma, onde 44 comunidades são dedicadas ao título mariano. “Temos a alegria de festejar os 300 anos de Nossa Senhora Aparecida, tão querida e amada pelo nosso povo. Nós sabemos que a história dela é importante para nós, porque traz a nossa identidade como povo que cultiva sua fé, sua religiosidade”, destaca o Bispo da Diocese de Criciúma, Dom Jacinto Inacio Flach.

O epíscopo recorda que o Santuário Nacional de Aparecida (SP) é o segundo mais visitado em todo o mundo e onde cresce, cada vez mais, o número de romeiros que se dirigem à casa da Mãe. “Toda vez que vou a Aparecida, na Assembleia dos Bispos, não só eu, mas todos os bispos ficam impressionados com a presença do povo ali, junto a Maria. Vão até lá pedir bênçãos e graças para suas vidas e suas famílias. Só Deus sabe as bênçãos e os prodígios que ela alcança para os filhos e filhas. Quando pergunto em nossas comunidades, muitas pessoas já foram uma ou duas vezes ao Santuário. Alegramo-nos com esta fé maravilhosa do povo que vai até lá e traz tanta bênção para nossa Igreja. Quando olho para aquela pequena imagem, vejo a simplicidade do coração do povo, mas a grandeza da manifestação de sua fé. É um povo que jamais vai deixar de visitar a casa da Mãe, pois ali se sentem amados, acolhidos e recompensados também pelo esforço que fazem para chegar ao Santuário. Todos saem, certamente, muito abençoados”, enfatiza Dom Jacinto.

A Solenidade de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, especialmente nos dias 11 e 12, contará com diversas celebrações na região, entre missas, terços e procissões. Entre as mais tradicionais, está a festa da Paróquia de Siderópolis, onde Nossa Senhora Aparecida é padroeira, e a transladação realizada pela Paróquia Nossa Senhora da Salete, em Criciúma.

Em Siderópolis, após a peregrinação da imagem que percorreu as 13 comunidades da Paróquia, que também celebra seus 70 anos de criação, a comunidade celebra o dia da Padroeira com missa solene, no dia 12, às 10h. A missa, que será presidida por Dom Jacinto, contará com a inauguração e bênção da cruz e do novo painel do presbitério, de autoria da artista plástica Katurra. A pintura, que só será revelada aos paroquianos no dia da festa, retrata o momento histórico do encontro da imagem. No mesmo dia, haverá bênção dos automóveis, às 07h, transladação saindo da comunidade de Vila São Jorge, às 09h; caravana pelas ruas da cidade, às 15h, e missa com consagração das crianças, às 19h.

Na Paróquia Nossa Senhora da Salete, em Criciúma, a 36ª Transladação Motorizada terá como local de partida a Catedral São José, às 18h30min, percorrendo a rua Henrique Lage e a Avenida Centenário, até a Rua General Oswaldo Pinto da Veiga, onde uma procissão luminosa conduzirá a imagem até a igreja matriz, onde será celebrada a missa, às 20h, também presidida pelo Bispo. A festividade contará com a participação da Banda Amor à Pátria, de Jaguaruna, e mais de 500 jovens que darão início à Missão Jovem Regional, promovida neste fim de semana na Paróquia, pela Pastoral da Juventude de Santa Catarina. Conforme um dos membros da Comissão, Juliano Martins, a imagem de Nossa Senhora foi restaurada e foram trocados seu manto e coroa, a fim de que, a cada ano, a Padroeira do Brasil seja homenageada de forma diferente. Todo investimento é fruto de promessas de devotos. “Estendemos o convite para que todos os fiéis participem, para que seja uma grande celebração de fé!”, acrescenta Martins.

A história completa sobre a devoção à Nossa Senhora Aparecida pode ser encontrada no site do Santuário Nacional.

COMPARTILHAR