Vice-governador e ministro de Minas e Energia inauguram Laboratório em Criciúma

Foto: Divulgação

O vice-governador Eduardo Pinho Moreira e o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho, inauguram o primeiro laboratório de captura de CO2 da América Latina nesta segunda-feira, 24, em Criciúma. O laboratório utiliza uma tecnologia própria e está instalado no Centro Tecnológico de Carvão Limpo (CTCL) da Faculdade Satc.

O processo usado será o de adsorção, quando o gás liberado na queima do carvão é capturado e armazenado em zeólitas – cinzas beneficiadas para se transformar em estrutura areada, semelhante a uma minúscula esponja. As zeólitas carregadas de CO2 poderão ser depositadas em minas desativadas ou o gás ser disponibilizado para consumo industrial, como na perfuração de petróleo e na produção de bebidas gaseificadas. Demais métodos de captura se valem de solventes líquidos, mais caros e que praticamente inviabilizam a implantação em escala industrial.

No Brasil, 100% das jazidas de carvão conhecidas estão no Sul do Brasil, sendo 90% no Rio Grande do Sul. Cerca de 14 empresas utilizam o carvão mineral no Brasil, a maior parte delas na Região Sul. No Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná, a cadeia Termelétrica gera em torno de 53 mil empregos diretos e indiretos e movimenta cerca de R$ 12 bilhões/ano. No mundo, 41% da energia gerada tem como fonte o carvão. Na Polônia, 83%; Alemanha, 44%; na Índia, 71% e, na Austrália, 69%. A construção do laboratórios de Criciúma recebeu aporte financeiro de R$ 4,4 milhões da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Governo do Estado (Fapesc).

Roteiro do ministro e do vice-governador

– 09h50: Visita às instalações da Satc
– 10h20: Inauguração do Laboratório de Captura de CO2, na Rua Pascoal Meler, 72, Bairro Universitário – Criciúma

Colaboração: Governo de Santa Catarina

COMPARTILHAR