Siderópolis cobra investimentos da Casan para resolver abastecimento de água

Empresa irá adquirir novas bombas e projeto para modernização do sistema deverá sair do papel

Fotos: Divulgação

O prefeito Hélio Cesa, o Alemão, cobrou investimentos urgentes da Casan e a resolução definitiva para a falta de água em Siderópolis. As cobranças foram feitas diretamente ao superintendente Regional Sul/Serra, Vilmar Tadeu Bonetti e à gerente de Operações da empresa, Fabiula Bortolotto, em reunião realizada na manhã desta terça-feira, 18, no gabinete do prefeito. De acordo com Alemão as interrupções já se tornaram frequentes e a população está sofrendo com a falta de solução. “Precisamos impedir que isso ocorra novamente e com tanta frequência. Siderópolis precisa de um abastecimento de água que atenda a população de forma contínua e com qualidade”, destacou o prefeito ao lado do vice, Xande Feltrin e da vereadora Janete Trento.

O representante da empresa fez um relato da última interrupção, ocorrida na sexta-feira, 14, e anunciou a aquisição de duas bombas novas que serão colocadas para o abastecimento, no sistema de reserva. Além disso, deve ser tirado do papel o projeto de modernização do bombeamento e revisão da rede. “A cobrança do município é justa e vamos buscar atender da melhor maneira possível a população. As bombas devem ser entregues na próxima semana e o projeto de revisão da rede, já existente, deve ser executado”, afirmou Bonetti, acrescentando que com a mudança no sistema de bombeamento, também deverá ser feito estudo para colocação de isolamento acústico para impedir a propagação de som.

Com as explanações da superintendência da Casan, o prefeito irá à Florianópolis conversar pessoalmente com o presidente Walter Galina, para reforçar a exigência de investimentos no sistema de abastecimento na cidade.

Água para o Alto Rio Maina e Santa Luzia – O prefeito Alemão aproveitou a reunião com a Casan para reforçar o pedido de água para as comunidades de Alto Rio Maina e Santa Luzia, que atualmente utilizam um sistema de rede comunitário. “Existe um projeto que provavelmente está defasado, da época em que os moradores desistiram de ter água da Casan. Vamos revisar o projeto e apresentar os números para o prefeito”, afirmou a gerente.

Colaboração: Simone Costa / Assessoria de Comunicação

COMPARTILHAR