Sem acordo, possibilidade de greve na construção civil

Assembleia geral com os trabalhadores acontecerá na semana que vem

Foto: Divulgação
- Publicidade -

O impasse na negociação da construção civil pode resultar em greve da categoria. Os cerca de dois mil trabalhadores do setor de Criciúma e região pedem o INPC do período de 3,99%, mais 5% de aumento real. O sindicato patronal ofereceu somente 4% e o congelamento dos pisos.

“Após três rodadas a negociação emperrou. Os empresários estão aproveitando a crise para congelar salários o que é um retrocesso. Não vamos aceitar esta proposta e podemos deflagrar greve nos próximos dias. No entanto apostamos na negociação e no diálogo para fecharmos o acordo”, pontua o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Ceramistas e Construção Civil de Criciúma e Região, Itaci de Sá.

A data-base é 1º de maio. Os atuais pisos do servente após 60 dias é de R$ 1.440,00 e o do pedreiro é de R$ R$ 1.915,00. Uma assembleia geral com os trabalhadores acontecerá na semana que vem.

Mais informações, nesta terça-feira (06), na Rádio Marconi.

COMPARTILHAR