Gleisi diz que PT não participará de eleição indireta de sucessor de Temer

Waldemir Barreto/Agência Senado

Eleita presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) no último fim de semana, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) agradeceu pelo apoio recebido. Ela enfatizou que será a primeira mulher a presidir o partido.

Para ela, num “momento em que a sociedade adota um discurso misógino, é importante os partidos políticos darem mais espaço às mulheres”. Gleisi Hoffmann destacou a realização do 6º congresso do PT, que reuniu 600 delegados e teve mais de dois mil participantes, tendo sido transmitindo pelas redes sociais.

Ela afirmou que foi feito um balanço do partido durante o congresso, com avaliação de erros, na tentativa de qualificar o PT para propor alternativas “mais ousadas para o futuro do Brasil”. O primeiro objetivo, disse, é retirar Michel Temer da Presidência da República. Gleisi defendeu eleições diretas para presidente ainda em 2017. Segundo ela, o PT não participará de um possível colégio eleitoral no Congresso para eleger o sucessor de Temer, atingido por denúncias de corrupção.

— Nós, em 1985, não fomos ao colégio eleitoral para votar em Tancredo Neves quando era para romper uma ditadura, por que iríamos agora que é para manter um golpe? Então não tem possibilidade. E parem de jogar verde para colher maduro, porque não vai acontecer. Ninguém está autorizado neste partido a falar diferente ou articular diferente do que foi definido neste 6º congresso. Isso é bom que fique claro, em alto e bom som. O PT não participará do colégio eleitoral — declarou Gleisi.

Colaboração: Agência Senado

COMPARTILHAR