Polícia Militar de Urussanga esclarece multas aplicadas por vídeo monitoramento

- Publicidade -

O comandante da Policia Militar de Urussanga Capitão Anderson Galdino Torres de Oliveira participou da sessão desta terça-feira (16) no Legislativo Municipal para prestar esclarecimentos sobre multas aplicadas através do vídeo monitoramento nas principais ruas da cidade. A iniciativa para a vinda do Comandante foi do vereador José Carlos José (PP) em atendimento a cidadãos que reclamaram sobre a legalidade deste tipo de multa.

De acordo com o Comandante Torres, várias cidades utilizam o sistema para multar motoristas infratores, sendo este modo de autuação regulamentado pelo código nacional de trânsito desde 2013. Em Urussanga a aplicação de multas através do vídeo monitoramento iniciou em janeiro de 2017 após 120 dias de divulgação e conscientização dos condutores através dos meios de comunicação do município.

“As multas de trânsito são aplicadas nos locais cobertos pelas 10 câmeras de vídeo monitoramento da área Urbana da cidade e as autuações são feitas somente durante o dia, onde a luminosidade permite uma perfeita identificação dos veículos”, destacou o comandante. Até o mês de maio deste ano foram retidos 48 veículos devido a irregularidades e foi aplicada em média uma multa por hora com o uso das câmeras. O Comandante explicou ainda que a maioria das multas é por uso do celular, pois mesmo parado nos semáforos o condutor pode ser autuado se utilizar o aparelho. As multas são enviadas via correios pelo Detran e levam em média 20 dias, após o auto de infração atestado pela Policia Militar, para chegar à casa do motorista.

“Enquanto as obras de revitalização da Praça Anita Garibaldi não estiverem prontas foram solicitada a retirada de placas de proibição de estacionamento em alguns locais, para evitar mais transtornos aos motoristas”, destacou o comandante.

Além dos fatos relacionados ao trânsito o comandante solicitou o apoio dos vereadores a programas como o PROERD, rede de vizinhos, vídeo monitoramento por Câmeras, fiscalização de bares e similares, rondas no interior, operações de trânsitos e operação Lei seca. O comandante Torres cobrou ainda, a imediata municipalização do trânsito e o pagamento de dívidas atrasadas, fruto dos convênios estabelecidos pelo Poder Executivo com a Polícia Militar, tanto pela gestão anterior como a atual.

Segundo o comandante, a PM de Urussanga necessita de cerca de R$ 70.000,00 para a aquisição de coletes a prova de balas, pois os utilizados atualmente estão prestes a perderem a validade e reiterou o pedido de apoio do Legislativo a corporação. O vereador José Carlos José, autor do convite para a participação do Comandante na sessão, se comprometeu junto com os demais vereadores a serem parceiros das reivindicações e demandas da Policia Militar de Urussanga.

Colaboração: Câmara de Vereadores Urussanga 

Confira abaixo o resumo da fala do Capitão Torres sobre as câmeras de videomonitoramento. O Repórter Marconi tem mais informações, ouça:

 

COMPARTILHAR