Em reunião com Michel Temer, Fiesc propõe ações prioritárias

Presidente da instituição, Glauco José Côrte, participou de encontro nesta terça-feira (16), em Brasília, e entregou documento que contempla proposições nas áreas de infraestrutura de transporte, energia, relações trabalhistas e desenvolvimento industria

Empresários catarinenses durante encontro em Brasília com o presidente Michel Temer

O presidente da FIESC, Glauco José Côrte, participou de encontro com o presidente da República, Michel Temer, nesta terça-feira (16), no Palácio do Planalto, em Brasília, e entregou o documento “Ações prioritárias para a indústria catarinense”, que contempla nove proposições nas áreas de infraestrutura de logística e transporte, energia, relações trabalhistas e desenvolvimento industrial. A reunião contou com a participação do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, dos presidentes da FIERGS, Heitor Müller, e da FIEP, Edson Campagnolo, além de empresários dos três Estados. Clique aqui e veja o documento completo.

No documento entregue a Temer, Côrte, ao avaliar os ajustes necessários ao País, destaca que os primeiros passos já estão sendo dados, principalmente com a tramitação de reformas importantes, como é o caso do estabelecimento de um teto para os gastos públicos, a terceirização, as reformas trabalhista e da previdência, o programa de regularização tributária (com os ajustes incorporados pelo Congresso Nacional). “Essas medidas indicam que o governo está assumindo a tarefa de remover barreiras ao pleno crescimento do Brasil, missão esta que a FIESC reconhece como essencial e apoia integralmente”, destaca o presidente da FIESC. “Adiciona-se a necessidade de avanços em relação ao sistema tributário (incluindo a reforma do ICMS), à política de concessões e ao fortalecimento das agências reguladoras, entre outras”, completa.

Na área de infraestrutura de transportes, entre as solicitações da FIESC estão à continuidade da duplicação das BRs 280 e 470; ampliação da capacidade e restauração das BRs 282, 163 e 116; investir na ampliação da BR-101 no sentido norte; restauração das BRs 153 e 158 e finalização das obras da BR-285. Também há demandas relacionadas à portos, aeroportos e ferrovia. Na área de energia, o documento destaca alternativas de suprimentos e transporte do gás natural, política para o carvão mineral, além da revisão da resolução normativa que determina a destinação de um percentual mínimo dos recursos de projetos de P&D e eficiência energética para as regiões do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Quanto às relações trabalhistas, a Federação sugere alterações no texto da Norma Regulamentadora 12 (NR-12), que não estabelece diferenciação no tratamento de máquinas novas e usadas, impondo obrigações custosas às indústrias. No desenvolvimento industrial, a publicação destaca a modernização do serviço de inspeção de produtos de origem animal.

COMPARTILHAR